Convênio Farmácia DPSP recebe prêmio pelo segundo ano consecutivo

Convênio Farmácia DPSP recebe prêmio pelo segundo ano consecutivo

O Convênio Farmácia DPSP recebeu este mês o prêmio Fornecedores de Confiança 2017, pelo segundo ano consecutivo. A premiação é realizada pela editora Segmento, a partir da metodologia Net Promoter Scores (NPS) – indicada pela Harvard Business School – que tem como missão avaliar o grau de comprometimento de clientes em relação a uma empresa.

“O maior valor deste prêmio é que ele indica o nível de satisfação das empresas conveniadas com a qualidade do nosso serviço. Uma preocupação constante do nosso trabalho”, fala Mathias Pereira, Gerente de Novos Canais do Grupo DPSP – companhia que administra as marcas Drogarias Pacheco e Drogaria São Paulo.

Entenda o benefício

O Convênio Farmácia é um benefício atraente para as empresas contratantes e também para seus funcionários. Ao realizar a adesão, a empresa passa a ceder ao colaborador um valor mensal para compras em farmácias, garantindo também o acesso a medicamento e itens de farmácia com descontos especiais. O custo é automaticamente debitado na próxima folha de pagamento de salário.

Para os empresários trata-se de mais uma opção de benefício para cuidar e reter talentos, com descontos na folha de pagamento e sem custo adicional. Já para os funcionários este é mais um caminho prático e economicamente interessante, além de ser um meio de cobrir gastos emergenciais.

Mais informações no site: http://www.dpspconvenios.com.br/.

Fonte: Assessoria de Imprensa/Grupo DPSP

Foco do cliente

Foco do cliente

Revista da Farmácia – ed. 198:

marcus

Marcus Assumpção, consultor em planejamento, gestão por processos e gerenciamento de projetos.

Recentemente, uma cliente de um estabelecimento farmacêutico fez um relato que pode ser um bom exemplo de foco do cliente ao contrário de foco no cliente. Ela é uma paciente que utiliza medicamento de uso contínuo, e a farmácia, tendo o cadastro dela atualizado e com registros precisos e preciosos, manteve contato telefônico para informar que o remédio estava próximo de acabar. A cliente ficou surpresa com a atenção da empresa, que demonstrou preocupação com a necessidade dela em ter o medicamento no tempo certo para garantir o uso contínuo. Ela, obviamente, se dirigiu à farmácia para obter o medicamento, que fazia parte da cesta do programa Farmácia Popular. Contudo, além do medicamento gratuito, a cliente comprou outros produtos.

Esse exemplo real caracteriza bem a diferença da gestão da empresa de foco no cliente para foco do cliente. Se a sua empresa está formatada para trabalhar apenas com foco no cliente é bom pensar em ampliar os esforços para também ter estratégia de foco do cliente.

A estratégia de foco no cliente é normalmente centrada em pesquisas para coletar dados gerais que permitam avaliar os padrões comportamentais, demográficos, hábitos de consumo, gastos e tudo o mais que permita definir o perfil de determinados grupos de clientes. Essas informações são importantes, mas não suficientes para se conquistar um nível ampliado de relacionamento com eles.

Já na estratégia com foco do cliente, o consumidor deixa de ser apenas um dado estatístico e passa a ser visto e tratado empaticamente, considerando as suas reais necessidades específicas. Essa estratégia permite que o cliente passe a considerar a empresa como solucionadora de seus problemas e provedora de suas necessidades, passando a ter uma relação emocional ampliada em relação ao simples relacionamento comercial e tendendo a gerar a fidelização.

Uma das formas de buscar o olhar do cliente é trazê-lo para dentro da empresa e fazer com que se sinta parte dela. Uma possibilidade já praticada por algumas empresas é convidar os clientes a participarem do desenvolvimento de novas formas de atendimento, por meio da coleta de sugestões. Uma das técnicas usadas para isso é a dinâmica de grupos focais, normalmente mediados pelo gestor da empresa ou apoiados por consultoria especializada.

Uma vez sabendo o que o cliente realmente necessita e da forma como necessita, foi dado o primeiro passo para a implantação da estratégia de foco do cliente. Mas, como observado no exemplo da cliente que foi informada de que seu medicamento estava perto de terminar, é importante que a empresa se organize para efetivamente atuar com a estratégia de foco do cliente. Então, é fundamental implantar tecnologia que suporte de forma correta e precisa as informações a serem utilizadas no momento correto e de forma correta. A empresa deve ter processos e procedimentos desenhados e definidos para que possam promover a capacitação da equipe. Finalmente, deve supervisionar e medir os indicadores chaves de desempenho para saber se a estratégia está trazendo resultados efetivos para a empresa.

Marcus Assumpção

 

Comunicação Ascoferj

Associados da Ascoferj são isentos de apresentar a Certidão de Regularidade para renovar Farmácia Popular

Associados da Ascoferj são isentos de apresentar a Certidão de Regularidade para renovar Farmácia Popular

A renovação das farmácias e drogarias no Programa Farmácia Popular do Brasil vai até o dia 31 de julho e, se você é associado da Ascoferj, está isento de apresentar a Certidão de Regularidade Técnica durante o processo de renovação. Para desfrutar esse benefício, entre em contato com o Departamento de Assuntos Regulatórios da Ascoferj pelo telefone (21) 2220-9390 ou pelo e-mail regularizacao@ascoferj.com.br.

Fonte: Ascoferj

Vaga para promotor externo de vendas

Vaga para promotor externo de vendas

Região de atuação: Grande Rio (Niterói e São Gonçalo).

Qualificações: Idade entre 21 e 35 anos, ensino médio completo, preferencialmente cursando graduação em Administração ou Marketing. Experiência comprovada de, no mínimo, um ano em vendas externas ou varejo. Conhecimento Pacote Office.

Atividades profissionais a desempenhar: Prestar suporte aos associados quanto aos serviços oferecidos; Buscar a maximização de novos associados prospectando na região e assessorando os atuais; Planejar as vendas em parceria com a Supervisão Comercial, cadastrando novas Drogarias e mantendo a excelência no atendimento, realizando planejamento de visitas e divulgando os benefícios da Associação.

Oferecemos: Regime de contratação efetiva com salário fixo, premiação e produtividade

Capacitação e desenvolvimento das competências técnicas e comportamentais para a excelência no desempenho.

Envie seu currículo para treinamentos@ascoferj.com.br ou ligue para (21) 2220-9390.

 

Interfarma lança livro em evento de vacinas

Interfarma lança livro em evento de vacinas

Um amplo debate sobre o cenário atual das vacinas no Brasil marcou a manhã da última segunda-feira, dia 12, no Clube Transatlântico, em São Paulo (SP), com a presença de diversas autoridades e especialistas no assunto. Foi destacada a importância do Programa Nacional de Imunização (PNI) para profundas transformações na saúde pública do País, o crescente movimento antivacinas, os desafios da inovação no segmento e o trabalho constante para manter os investimentos necessários para aquisição, logística e aplicação dos imunizantes.

O diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), Jarbas Barbosa, compartilhou com um público de cerca de 100 pessoas algumas de suas experiências com gestão de programas de vacinação no âmbito público. “Recordo-me de quando falávamos em doenças comuns da infância e que hoje não atingem mais a população por causa do PNI”, disse ele.

Também estiveram presentes a coordenadora do PNI, Dra. Carla Domingues, o consultor científico do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos Biomanguinhos/Fiocruz, Dr. Akira Homma, a presidente da Sociedade Brasileira de Imunizantes (SBim), Dra. Isabela Ballalai, entre outros. “Enquanto enfrentamos grandes dificuldades nos programas de transferência de tecnologia para outros medicamentos, com apenas uma transferência realizada em mais de 100 projetos, o segmento de vacinas já faz isso com sucesso há muitos anos”, destacou o presidente-executivo da INTERFARMA, Antônio Britto.

O evento foi organizado para o lançamento da publicação Como as vacinas mudaram um País, que traz a história do PNI em detalhes, evidenciando as transformações com números de incidência de diversas doenças. Download gratuito aqui.

Durante o evento, foi prestada uma homenagem com entrega de uma placa a quatro das mais importantes figuras públicas ligadas ao segmento: Dra. Carla Domingues, Dr. Jarbas Barbosa, Dr. Akira Homma e o professor da Faculdade de Pediatria da USP e membro do Comitê Técnico Assessor de Imunização do PNI, Dr. Gabriel Oselka, que foi representando pela Dra. Carla Domingues, coordenadora do PNI.

Fonte: Interfarma

Rio Drog’s realiza a segunda edição do Farma Trade

Rio Drog’s realiza a segunda edição do Farma Trade

19451645_1411979205556353_1514653365_o

A partir da esquerda, o diretor executivo da Rio Drog’s, Ricardo Scaroni; farmacêutica e consultora da Ascoferj Betânia Alhan; o diretor da Rio Drog’s, Bruno Freire; a subsecretária de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses (Subvisa), Márcia Rolim; o presidente da Ascoferj, Luis Carlos Marins; a gerente técnica de Saúde da Vigilância Sanitária, Simone Braga; a farmacêutica da Vigilância Sanitária, Willenes Souza; e o fiscal sanitário de farmácias de Macaé, Gilvan Sodré.

A distribuidora de produtos farmacêuticos e perfumaria Rio Drog’s realizou a segunda edição do Farma Trade, no dia 20 de junho, no Sheraton Barra, no Rio de Janeiro. Durante a abertura, o diretor executivo da Rio Drog’s, Ricardo Scaroni, destacou que o evento auxilia os profissionais na melhoria dos serviços prestados nas farmácias “Desenvolvemos o Farma Trade com o intuito de oferecer diversas palestras com direito a perguntas e respostas pelos participantes, levando conhecimento e informação para quem precisa”, disse.

A primeira palestra, “Mercado consumidor farma-brasileiro: desafios e oportunidades”, ministrada pelo consultor, empresário e Master Coach Profissional, Anderson Gross, apresentou uma visão macro do momento em que o país vive e destacou que o ano de mudanças aconteceu em 2014, quando se percebeu cortes e desemprego.

20170620_104327

Anderson Gross, consultor, empresário e Master Coach Profissional.

De acordo com Gross, hoje as dificuldades das farmácias são baseadas na concorrência acirrada, pois os estabelecimentos estão muito próximos uns dos outros, além da diminuição da margem de lucro, que se dá quando o empresário trabalha mais e ganha menos, e do aumento do custo para manter um negócio no varejo farmacêutico.

“Quem deseja competir em pé de igualdade precisa entender quem é o cliente para ter um estoque inteligente, desenvolver a possibilidade de fazer entregas em domicílio, pois quem faz está ganhando dinheiro, e selecionar mão de obra qualificada”, ressaltou o consultor.

No que se refere às tendências, ele sinalizou farmácias mais amplas, bem iluminadas, modernas e com público voltado para a terceira idade. Outro ponto destacado foi que os centros urbanos estão mais violentos e caros e a expansão das empresas está migrando para as áreas periféricas.

Em seguida, a gerente de Relacionamentos da Close-Up International, Joscimara Wamser, apresentou dados de mercado do Brasil e do Rio de Janeiro. “A grande fatia do mercado está concentrada no Rio, mas cresce menos devido aos escândalos políticos e econômicos que acontecem toda semana”.

close up

Joscimara Wamser, gerente de Relacionamentos da Close-Up International, e o presidente da Ascoferj, Luis Carlos Marins.

Joscimara frisou que, atualmente, o consumidor não deixou de comprar nas farmácias, mas ele passou a adquirir produtos com preços mais em conta. “O Rio de Janeiro é o segundo maior mercado do Brasil, mas, para aproveitar as oportunidades, é preciso entender os indicadores e transformá-los em chances reais de ganho”, garantiu.

O Farma Trade também contou com a apresentação do diretor de Similares e Genéricos da Delta, Fernando Marinheiro, que falou um pouco sobre a indústria, e do presidente da Febrafar, Edison Tamascia.

Segundo ele, o maior desafio para o empresário é ter a coragem de mudar e se adequar a essas transformações. “Para alcançar o sucesso, é necessário correr riscos. Você precisa oferecer ao cliente mais do que o concorrente está oferecendo, superando mais ainda as expectativas dele”, sugeriu.

19451593_1411979212223019_456628412_o

Edison Tamascia, presidente da Febrafar.

 

 

 

 

 

 

 

 

Painel discute adequação sanitária

painel

A partir da esquerda, o fiscal sanitário de farmácias de Macaé, Gilvan Sodré; o presidente da Ascoferj, Luis Carlos Marins; a subsecretária de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses (Subvisa), Márcia Rolim; a gerente técnica de Saúde da Vigilância Sanitária, Simone Braga; a farmacêutica da Vigilância Sanitária, Willenes Souza; e a farmacêutica e consultora da Ascoferj Betânia Alhan.

A Ascoferj marcou presença no evento, participando do painel “Importância da adequação sanitária para se manter estável no mercado”, mediado pela farmacêutica e consultora da entidade Betânia Alhan. A mesa foi composta pelo presidente da Ascoferj, Luis Carlos Marins; pela subsecretária de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses (Subvisa), Márcia Rolim; pela gerente técnica de Saúde da Vigilância Sanitária, Simone Braga; pela farmacêutica da Vigilância Sanitária, Willenes Souza; e pelo fiscal sanitário de farmácias de Macaé, Gilvan Sodré.

Marins relatou que o maior problema que as farmácias e drogarias enfrentam é a falta de padronização dos órgãos reguladores. “Cada cidade tem um padrão a ser seguido e uma fiscalização com postura e trabalho distintos. Essas questões tornam as empresas mais vulneráveis e prejudica os proprietários”, declarou.

A subsecertária da Subvisa, Márcia Rolim, afirmou que o próximo passo da Vigilância Sanitária é harmonizar e padronizar as ações realizadas pela fiscalização. “Vamos desenvolver um passo a passo de como deve ser o trabalho do fiscal durante uma inspeção. Tudo será monitorado e com auditorias”, adiantou Márcia.

Ela explicou que a nova gestão tem como alicerce um trabalho calcado na transparência e, por isso, é essencial o trabalho conjunto com o setor regulado e com a população. Ela sinalizou ainda que as atividades do órgão estão priorizando uma relação de parceria com os empresários. “Não estamos aqui para impedir nenhuma atividade econômica, mas para apoiar e facilitar o trabalho de todos”, falou.

O fiscal sanitário de farmácias de Macaé, Gilvan Sodré, aproveitou o momento para falar sobre a situação do município. “Hoje, temos cerca de 75% dos estabelecimentos licenciados. Também existe um programa de devolução dos medicamentos vencidos, com coleta e descarte adequados”, contou.

A farmacêutica da Vigilância Sanitária, Willenes Souza, citou os dois principais problemas que a Visa encontra nas farmácias. “São a ausência do farmacêutico responsável técnico durante todo o horário de funcionamento, o que faz atrasar a emissão da licença sanitária, e a climatização inadequada da loja”.

No fim do painel, o diretor da Rio Drog’s, Bruno Freire, agradeceu a presença de todos e comemorou o evento. “O nosso sucesso depende dos resultados alcançados pelos profissionais do varejo farmacêutico, porque cada um de nós é um pedacinho desse mercado. O nosso intuito com o Frama Trade é levar informação para que todos possam se fortalecer em seus negócios”, concluiu.

Comunicação Ascoferj